Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

13 de out de 2011

Blog do Barbi-Carlos Barbieri: BI2-Modelagem e Qualidade- Carlos Barbieri


Blog do Barbi-Carlos Barbieri: BI2-Modelagem e Qualidade- Carlos Barbieri:

O livro BI2-Modelagem e Qualidade, que você folheará a partir de Junho, teve três grandes motivações na sua concepção: A primeira foi o ainda intenso interesse demonstrado pela comunidade de informações(acadêmica e técnica) pelo livro anterior BI-Business Intelligence-Modelagem e Tecnologia, esgotado. Esgotado, diga-se de passagem, não necessariamente por seus méritos, mas pelo desaparecimento da empresa, que o editou. Que Deus a tenha...

Editado em 2001, o livro ainda continua sendo uma fonte bastante citada, conforme evidencia o Dr. Google, nas suas mais de 30 páginas de links referenciados. Isso é reiterado por diversos e-mails que recebo periodicamente, vindo de universidades e profissionais , a respeito de como obtê-lo, mesmo dez anos depois do seu lançamento. Assim o BI2 cumprirá parte de seu objetivo, ampliando,revisando e atualizando os conceitos existentes no seu irmão mais velho e trazendo novas discussões sobre altos volumes, novas formas de acesso e de estruturação de informações.A segunda grande motivação se deu pela minha incursão, ao longo desses últimos seis anos, na implementação de projetos de qualidade, através do Programa MPS.BR da Softex. Foram mais de 50 implementações através da Fumsoft-MG. Embora o movimento MPS.BR seja fortemente focado em qualidade de processos de software e serviços correlatos, fui despertado por uma daquelas vozes internas que nos sopram aos ouvidos, principalmente nas madrugadas insones que sucedem a derrota do time querido. Ela me perguntava o porquê da qualidade de dados não ter ainda alcançado um patamar de importância corporativa semelhante à qualidade dos processos. De pronto, respondi: ­­__Depende, esfarelando qualquer resquício de lógica e me valendo do clichê fundamental da indústria da consultoria. Mesmo assim, prometi ao meu alterego cruzmaltino pensar,pesquisar e escrever a respeito. Até porque em toda a minha vida profissional estive profundamente envolvido com dados. Desde a minha tese de Mestrado no Inpe, nos anos 70, passando pela minha carreira profissional de quase 30 anos na Cemig, onde comecei como DBA, comandei a área de Dados e me aposentei como responsável pela área de Tecnologia. Sempre me envolvi com eles. Mesmo assim, os diversos trabalhos de consultoria por aí afora, a escrita de um dos primeiros livros sobre Modelagem de Dados publicados no Brasil, e o primeiro livro de BI, sempre me apontaram esse caminho, mas nunca me ajudaram na resposta ao alterego insone. Quando ouvi pela primeira vez sobre os movimentos de Governança de dados, entendi que o momento que eu sempre imaginara importante para os dados, estava prestes a chegar. E por que colocar num livro de BI, assuntos de qualidade e governança de dados? A resposta é clara e forte como a silhueta das montanhas de Minas. As informações colocadas e estocadas nos grandes depósitos hoje(sejam DW ou DMarts) têm oferecido um lado sombrio, quando analisadas sob a luz da qualidade. Não são poucas as empresas onde ouço que o BI vai bem, porém a qualidade das informações por ele produzidas,.. nem tanto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário