Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

26 de nov de 2011

Credencial para especialistas em gestão de programas


Da série de entrevistas efetuadas pelo PMI Capítulo São Paulo.
Reportagem: Daniel Marigliano
Texto e Edição: Bruno Bazzoli, PMP
Program Management Professional (PgMP) é a credencial do PMI que demonstra experiência e conhecimento na gestão de múltiplos projetos que, relacionados entre si, visam atingir objetivos estratégicos de negócio. Conversamos sobre esse assunto com Ernani Marques, PMP, PgMP, encerrando assim a nossa série de entrevistas sobre todas as credenciais oferecidas pelo PMI (confira as edições anteriores sobre PMI-RMPPMI-SPCAPM e PMP).
A credencial PgMP está diretamente ligada aos aspectos mais estratégicos das organizações. O profissional credenciado PgMP é aquele comprovadamente especializado em orquestrar programas, ou seja, múltiplos projetos com um objetivo maior em comum. “Não é incomum ouvirmos falar de projetos que não trouxeram (ou não alcançaram) benefícios. Quando falamos de Gerenciamento de Programas, falamos de gerenciamento de benefícios, ou seja, é de fundamental importância que o programa tenha um alinhamento estratégico e deve-se assegurar que os projetos tragam, de fato, os benefícios almejados. O Gerenciamento de Programas refere-se ao gerenciamento de múltiplos projetos relacionados que suportem e possibilitem as organizações alcançarem seus objetivos estratégicos”, avalia Marques.
Esse enfoque faz com que a certificação PgMP seja apropriada somente para pessoas com experiência nos assuntos que envolvem as estratégias das organizações. “Não há vantagem em obter a certificação para um profissional puramente técnico. Aliás, um profissional com esse perfil não conseguirá o certificado. Não há como pular degraus. Para ser gestor de programa é preciso ter habilidades gerenciais e estratégicas”, define Marques. Não é só o profissional que precisa avaliar se o gerenciamento de programas é mesmo o seu caminho; as organizações também precisam entender melhor qual é o papel do gerenciamento de programas. “Já vi empresas falando de portifólio e de programas sem ao menos saber o que esses termos significam. Não somente pequenas e médias. Mesmo grandes empresas não sabiam do que estavam falando”, observa Marques.
Podemos dizer que o gerenciamento de projetos já é um conceito de valor completamente reconhecido pelas organizações. E cada vez mais a profissionalização nessa área vem sendo exigida, em função do constante crescimento do número de projetos, em praticamente todos os segmentos de mercado. O gerenciamento de programas também deve seguir esse crescimento, porém, num ritmo próprio. “O gerenciamento de projetos tem crescido muito, não apenas no Brasil. Esse crescimento continuará em linha ascendente e forte. O gerenciamento de programas e portifólios têm uma curva de crescimento menor, pois são somente as organizações mais maduras que possuem as melhores condições para uma boa implementação de gerenciamento de programas e portifólios de fato”, compara Marques. O profissional que busca especialização nessa área está também fazendo uma aposta no futuro. “Acredito que há grandes possibilidades para especialistas em gestão de projetos grandes, múltiplos e complexos. Atualmente é um mercado mais restrito, mais voltado para médias e grandes organizações. Isso não significa que as pequenas empresas não possam fazer; claro que podem. Mas quantos projetos conduzem por ano? Desses projetos conduzidos, quantos são realmente relacionados uns aos outros? Qual o nível de maturidade existente? Há grandes possibilidades sim, porém, o nível de conscientização sobre gestão de benefícios precisa ser melhor abordado para que mais organizações encontrem a necessidade de implementação de programas. Assim, ampliando a maturidade auxiliará na implantação de gestão profissional de programas”, analisa Marques.
A credencial PgMP representa o reconhecimento do PMI com relação ao profissional especialista em gestão de programas. O candidato deve estar preparado para cumprir uma série de pré-requisitos, além do exame em si. “O processo todo vai avaliar se o candidato apresenta, experiência, competência, habilidades e atitudes de gerenciamento em ambientes amplos, complexos e multidisciplinares. A certificação é muito mais que apenas um certificado. É um processo rigoroso que segue os seguintes passos principais: 1- Aplicação (submeter os dados e experiência profissional); 2-Auditoria (em caso de seleção); 3- Panel Review (uma equipe de especialistas efetua uma revisão da sua aplicação. Nessa revisão muito provavelmente o candidato será questionado sobre alguns aspectos, como por exemplo a visão estratégica da organização, o alinhamento estratégico do programa, a missão da organização ou o alinhamento com o programa); 4- Exame (prova contendo 170 questões múltipla escolha, em inglês, para ser efetuada em 4 horas. A partir de Janeiro/2012 a prova sofrerá alterações); 5- Multi-rater Assessement ou MRA (profissionais avaliam o candidato com base no formato 360º, ou seja, subordinados, pares e superiores)”, explica Marques.
Apesar do longo percurso e da taxa de inscrição (atualmente US$ 1.800 para não membros e US$ 1.500 para membros do PMI) o investimento na credencial vale à pena. Para aqueles que se enquadram nos pré-requisitos, é claro. “Trata-se de uma certificação que o diferencia como profissional. Para obtê-la é preciso passar por um processo rigoroso e somente isso já o transforma em alguém bem mais preparado para os desafios que as organizações enfrentam. Com certeza o profissional que passa com sucesso por essa etapa é visto como referência perante a comunidade. Os benefícios são imensuráveis” diz Marques.
Sobre o entrevistado: Ernani Marques, PMP, PgMP é formado em Economia, pós-graduado em Gestão de Negócios e da Tecnologia de Informação pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Dom Cabral (FDC). É membro do Project Management Institute (PMI) e do International Institute of Business Analysis (IIBA). Instrutor de cursos de gerenciamento de projetos, análise de negócios e preparatórios para as provas de certificação do PMI e do IIBA. É autor do Livro “CBAP® Prep – Um curso em um livro”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário