Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

12 de fev de 2012

Crowdsourcing – A singularidade das multidões

Por: Paulo Amaral
Em: http://pauloamaral.blog.br/crowdsourcing-a-singularidade-das-multidoes/


Quer inovação mais rápida ? Uma visão mais abrangente de mercado ? Uma marca mais forte? Pergunte as multidões !

CROWDSOURCING E O PODER DAS MULTIDÕES

Jeff Howe, editor da revista Wired, que primeiro cunhou o termo “crowdsourcing” explica como a multidão pode ajudar organizações a completar tarefas e diminuir custos através de pessoas usando seu tempo para criação de conteúdo, pesquisa, desenvolvimento e resolução de problemas.
Apesar do jargão, crowdsourcing é uma ideia de negócio muito interessante e já praticada há muito tempo pela comunidade OPEN SOURCE ( Linux e outros ).

Vídeo – Entenda o que é Crowdsourcing

O termo tem vários desdobramentos :
  • Fansourcing, crowdcasting, open source, expertsource, worksource, inovação aberta, crowdfunding, colaboração em massa, wikinomics, ( consideraria coworking também ).
  • Tecnologias: e-mail, blogs, wikis, fóruns e listas de discussão, serviços de Internet como YouTube, Facebook, twitter,TED e outros.
  • Empresas onde é difundido: Procter & Gamble, Amazon, Eli Lilly, Nefix e muitos mais.
A essência do crowdsourcing: colocar a multidão para trabalhar e se alguém conseguir resultados, recompensar e pagar por isso, ou não , dependendo do modelo de negócio ou comunidade.
Pontos fortes :
O Crowdsourcing pode melhorar a produtividade e criatividade, enquanto minimiza os custos e despesas de trabalho e pesquisa. Usando a Internet para solicitar feedback de uma comunidade ativa e apaixonada de clientes, pode reduzir a quantidade de tempo gasto na coleta de dados através de grupos ou pesquisa de tendências, além de fomentar e criar expectativa para os próximos produtos.
Os pontos fracos :
As multidões não são seus empregados, então não espere controle. Embora em alguns casos, eles não queiram pagamento, os participantes vão buscar compensação na forma de satisfação, reconhecimento e liberdade. Eles querem  demanda de tempo, atenção, paciência, capacidade de ouvir, transparência e honestidade.
Para as organizações tradicionais,essa mudança na cultura e gestão pode ser difícil principalmente no Brasil.
Particularmente creio que a mentalidade vigente nas organizações em nosso país, ainda não esta “aberta” a este tipo de conceito devido a outras demandas ou “gaps” que precisam de atenção. As empresas aqui ainda não tem inovação no seu DNA.
Um exemplo bem sucedido :
- O  site IStockphoto.com permite que profissionais e fotógrafos amadores, ilustradores e cinegrafistas mostrem seu trabalho e ganhem “royalties” quando suas imagens são compradas e baixadas.
- O site Batalha de conceitos ( battle of concepts ) – Onde várias empresas brasileiras disponibilizam desafios regularmente dentre elas : Promon, Tecnisa, Ultracargo, Exame e outras.

Vídeo – O criador do termo Crowdsourcing

Para saber mais :

Nenhum comentário:

Postar um comentário