Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

20 de abr de 2012

Avaliação de riscos em projetos de TI

Por: Carlos Marcelo Lauretti
Em: http://www.tiespecialistas.com.br/2012/04/avaliacao-de-riscos-em-projetos-de-ti/


Devemos entender que “risco” pode assumir vários significados. Existem varias formas de risco: risco operacional, risco financeiro, e muitas outras formas de risco. A maioria das pessoas acredita que risco é a possibilidade de algo dar errado. Na verdade não é bem isso, risco é o grau de incerteza do resultado de um evento. Medir o risco significa estimar a variância dos resultados possíveis deste evento. Quanto maior a variância dos resultados deste evento, maior o risco. Uma empresa que não se sabe se lucrará $10 ou $100 milhões no próximo exercício tem maior risco que uma empresa que se tem certeza que irá lucrar $10 milhões.

Devemos também entender a diferença entre “risco” e “exposição ao risco”. Medir o risco mede simplesmente a variância dos possíveis resultados de um evento, enquanto exposição ao risco mede as consequências dos diversos resultados possíveis do evento. Um evento pode ter um resultado muito incerto (alto risco) porém suas consequências são de baixo impacto para a empresa (baixa exposição ao risco). Mitigar o risco não é tão importante nas decisões de investimento quanto mitigar a exposição ao risco.

Normalmente a minimização do risco traz custos elevadíssimos para as empresas. Portanto, não é possível analisar somente o aspecto de minimização do risco, mas qual é o investimento necessário para cada nível de exposição ao risco. Assim estamos introduzindo mais uma variável ao modelo. Há um trade-off entre menor exposição ao risco e investimentos necessários.

Risco e retorno andam juntos. Quanto maior o risco, maior o retorno exigido pelos investidores. Se um investidor não quisesse correr riscos, ele aplicaria seus recursos em ativos livres de risco e não nas empresas. Risco faz parte do negócio de qualquer empresa. A questão então é qual é o retorno esperado para cada nível de risco. Dizemos que há uma “clientela” para qualquer nível de risco. Há quem invista em uma empresa de prospecção de petróleo. Embora seja de altíssimo risco, o retorno esperado também é elevado. Há empresas que têm níveis mínimos de riscos, porém oferecem baixo retorno para seus investidores. Há clientelas para todos os níveis de risco/retorno. O histórico da empresa é o melhor indicador de qual é a clientela de investidores dela. Não se deve esquecer, contudo, que nenhum investidor está propenso a correr riscos que não tragam o correspondente retorno.

Existem metodologias que permitem estas avaliações para a correta avaliação de retornos sobre os investimentos, entre elas a “Programação Linear”, “Método por Opções Reais” e “Simulação de Monte Carlo”. Assim, avaliar riscos não é simplesmente minimizar ou eliminar o risco ou a exposição ao risco e sim adequar o retorno sobre o investimento para o nível de risco do projeto.





Nenhum comentário:

Postar um comentário