Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

5 de jun de 2012

Perfil do analista de processos: Tudo menos acomodado!

Por: Bruno Barrios
Em: http://www.tiespecialistas.com.br/2012/06/perfil-do-analista-de-processos-tudo-menos-acomodado/


Quem já trabalhou ou trabalha com análise de processos ou análise de negócios sabe,ou deveria saber, que: O profissional pode ser tudo que quiser, só não pode ser acomodado!

Quando falo isso, quero dizer que o profissional de negócios deve estar aberto a mudanças, a coisas novas e inovadoras. Não adianta achar que tudo será planejado e seguido corretamente até o final, o replanejamento sempre ocorrerá durante o projeto!

E quanto a modelagem dos processos? Mesmo que você mapeie o processo AS IS(como é) da melhor e mais completa forma possível, por incrível que pareça na hora de realizar um repasse geral com o gestor do processo e os envolvidos, geralmente surgem outros “micro-processos” que não foram identificados nem levantados durante a fase de descoberta do processo. E o que acontece agora? Lá vai o analista de processos remodelar o processo adicionando todas as novas informações que foram descobertas! É neste ponto mesmo que afirmo que este profissional não pode ser dar o luxo ao comodismo dentro do projeto, pois dificilmente desvendará todo o processo na primeira modelagem. Isto faz parte do processo de modelagem.

As falhas no levantamento podem ser de várias fontes como: Inexperiência do analista, consultar pessoas que não são realmente envolvidas no processo ou algum gestor que está atuando como “senhor feudal” e não está querendo contribuir da melhor maneira. Apenas para esclarecer, a responsabilidade de conquistar o “senhor feudal” e motivá-lo a contribuir efetivamente com o projeto é do analista! Mas no final das contas o que acontece? Novamente o analista vai colocar as mãos na massa para realizar as modificações e retratar a realidade.

Se isto acontecia no mapeamento do processo AS IS, imagine como é a fase do desenho do processo TO BE(como será). Com tantas idéias inovadoras, soluções interessantes que ainda não foram testadas e todo esse jogo de desejos, com certeza o analista de processos passará pelo ciclo de desenhar o processo e avaliar junto ao cliente algumas vezes até chegar a uma solução final que será homologada!

Praticamente quem conduz esta fase é o analista de processos, se ele não for uma pessoa capaz de lidar com mudanças e reformulação de ideias e pensamentos, com certeza se estressará com o projeto e o conduzirá de uma forma não pró-ativa! Realmente para este perfil profissional, não há espaço para o comodismo!

O segredo é aceitar que as coisas mudam e que não são exatamente um retrabalho, mas uma evolução contínua do processo, mesmo que na fase de desenho! Quando se enxerga desta forma, posso garantir que o trabalho não ficará massante, mas pelo contrário, será sempre crescente e evolutivo! Ao final agregará um excelente valor ao projeto e frutificará seus resultados!

Nenhum comentário:

Postar um comentário