Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

3 de jul de 2012

A decisão tecnológica mais importante do arquiteto de soluções

Por: Marco Mendes
Em: http://marcomendes.com/blog/2012/05/a-decisao-tecnologica-mais-importante-do-arquiteto-de-solucoes/


Phillipe Kruchten disse uma vez que a vida do arquiteto é uma longa sucessão de decisões sub-ótimas e parcialmente tomadas no escuro. Nada mais verdadeiro, em minha opinião.
Mas qual seria a decisão mais importante que um arquiteto deve tomar. A decisão sobre o estilo da arquiteturaé sem dúvida uma destas decisões. Alguns estilos arquiteturais incluem:
  • Cliente-Servidor
  • P2P
  • Multicamadas (n-tier)
  • Centrado em serviços de negócio (SOA)
  • Centrado em processos de negócio (BPMS)
  • Centrado em computação paralela massiva (Grid)
No que tange à tecnologia, entretanto, o conceito da plataforma é sem dúvida a decisão mais importante. A plataforma é o elemento técnico que dá vida ao estilo arquitetural.
Um plataforma é um arranjo de softwares e servidores organizados de forma coerente para resolver problemas comuns no desenvolvimento de software. Dois exemplos comuns de plataformas incluem o Java EE e o Microsoft .NET. Um outro exemplo de um plataforma é o LAMP, que é um arranjo composto de sistema operacional baseado em Linux, servidor Web Apache httpD, servidor de banco de dados MySql e linguagens dinâmicas como PHP, PERL ou Python.
O Java EE,  .NET ou LAMP são usados normalmente para sistemas de informação Web. Naturalmente existem cenários da realidade de mercado onde necessidades mais específicas surgem. Para estes cenários existem outros tipos de plataformas de mercado, muito além do Java EE e o .NET.
Exemplos incluem:
  • Plataformas de ERP/MRP (Enterprise Resource Planning/Material Resource Planning), usadas para automatizar processos de suporte de organizações. Exemplos de produtos nesta linha são o SAP ECC, o Oracle PeopleSoft e Oracle JD Edwards.
  • Plataformas de portais usadas para a criação de sites que unifiquem informações de diversas fontes. Exemplos incluem o Microsoft SharePoint, o Oracle Portal ou o IBM WebSphere Portal.
  • Plataformas de serviços interoperáveis para estilos centrados em serviços SOA. Exemplos incluem o Microsoft WCF ou o Apache Tuscany (padrão SCA).
  • Plataformas de automação de processos de negócio (BPMS) para empresas que estejam e estágios avançados de implementações BPM. Exemplos incluem o IBM Business Process Manager ou o Oracle BPM.
  • Plataformas de serviços de decisão (BRMS) para empresas que busquem flexibilidade e responsividade extrema para as suas regras de negócio. Exemplos incluem o IBM ILOG Operational Decision Management ou o Redhat JBOSS Drools.
  • Plataformas de BI/ETL para o suporte a inteligência de negócios avançada. Exemplos incluem a suíte de produtos IBM Cognos, Microsoft SISS ou Oracle Hyperion.
  • Plataformas de integração de aplicações chamadas de ESB (Enterprise Service Bus). Exemplos incluem o SAP PI, IBM WebSphere ESB e o Microsft BizTalk.
Se escolhemos uma plataforma arquitetural inadequada teremos graves problemas durante o projeto. Curiosamente, muitos “arquitetos” consideram a plataforma como dada e nem sequer pensam nisso. É a síndrome do arquiteto de uma plataforma só, que coloca a tecnologia na frente do problema.
Arquitetos de soluções racionais agem na direção inversa. Eles tem a mente aberta e fazem uma análise dos condutores arquiteturais. A partir destes condutores eles recomendam a plataforma mais apropriada que irá promover o melhor balanceamento dos condutores.
Em cenários mais sofisticados, uma solução pode exigir um conjunto de plataformas distintas. Em um caso SOA que estamos trabalhando atualmente, uma determinada empresa organizou a sua infraestrutura a partir de um conjunto de soluções integradas de BPMS, SOA e ESB.
Grandes fornecedores de mercado como a IBM, Oracle, TIBCO, SAP, Redhat, entre outros gigantes, possuem esquemas conceituais que nos permitem navegar neste mar de tecnologias. Deixo para os curiosos e aficionados pelo tema duas referências respectivamente da IBM e da Redhat.
Arquitetura de Referência da IBM
Arquitetura de Referência RedHat JBOSS

Nenhum comentário:

Postar um comentário