Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

10 de set de 2012

Seis sigma e metodologia DMAIC

Por: João Flávio de Freitas Almeida
Em: http://www.blogger.com/feeds/1855602725567186211/posts/default/2444223472716580603?v=2




Em gestão e operações industriais e serviços as ferramentas da qualidade têm grande importância na fase de assegurar estabilidade operacional, aumento de eficiência e padronização dos resultados. Dentre os métodos mais difundidos estão o DMAIC. O seis sigma é como se fosse o ícone do quase-zero defeito.

Como a metodologia ajuda na melhoria operacional?

Imaginemos uma empresa A com processo industrial sujo, mal iluminado, com ruídos, com atividades não padronizadas e conseqüentemente com trabalhadores desmotivados. Não estamos inventando; falamos da maioria nossa realidade industrial e serviços. O que esperar do produto ou serviço resultante? Imperfeição, instabilidade no seu funcionamento e até risco no seu uso. Produtos defeituosos geram ônus às empresas, pois estas têm que repor o produto ao consumidor, gerando re-trabalho industrial, despesas operacionais extras, aumento nos custos de processo, perda da imagem no mercado, e até despesas jurídicas em processos. Já ouviu falar em recall?
Até aqui retratamos o que ocorre com o consumidor insatisfeito ao receber seu produto com defeito e imperfeições. Mas e internamente na empresa A? Processos industriais e serviços imperfeitos geram retrabalho, excesso de movimentação de materiais e pessoas, paradas nas linhas de produção, descarte de peças intermediárias e produtos acabados defeituosos, etc. Nada disso é contabilizado nos custos do produto. Nada disso agrega valor algum ao produto. Resultado: Além de disponibilizar produtos com defeitos e ficar sujeito a todas as despesas relacionadas a produtos como descrito acima, a empresa A também tem um aumento de custo operacional interno que consome ainda mais suas margens de lucro.
Não é difícil imaginar que um concorrente B cujo processo industrial é robusto, estável, limpo e não gera produtos com defeito e conseqüentemente não gera despesas desnecessárias tenha o lucro maior que empresa A fazendo o mesmo produto. Percebeu? Ambas as empresas fazem o mesmo produto! Onde está a fonte de ganho? Na qualidade do processo e do produto. Isso não tem custo? Não. A diferença está na cultura da empresa. Em como ela treina e educa seus funcionários. Em como ela usa as ferramentas da qualidade em seu processo.
Redução da variância.  Processos mais estáveis sob controle estatístico

Uma metodologia muito difundida para aumentar a qualidade do processo é o DMAIC. A metodologia se resume em definir o problema, medi-lo, analisá-lo, melhorá-lo e controlá-lo. Do inglês: define, measure, analyse, improve and control (DMAIC).
Metodologia DMAIC. Alta correlação com lean thinking

A fase de definir o problema a ser atacado, se dá através da percepção de defeitos resultantes de produtos ou processos. Atenção: A definição vem em encontrar a causa raiz do problema, e não os erros finais. Nessa etapa, algumas ferramentas como diagrama de causa-efeito, espinha de peixe, entre outros, são usados para definir a causa raiz do problema. Talvez essa seja a parte mais difícil do método: a de definição do problema. Muitos não conseguem definir o problema e toda parte subseqüente se dá em vão, pois se não atacarmos a causa raiz do problema, não estamos resolvendo-o.
A etapa de medição envolve coletas de dados, e uso de tabelas, estatística descritiva e de gráficos para representar tendências ou dispersão da variável a ser analisada.
A fase de análise demanda o uso de técnicas estatísticas relacionadas ao problema específico. Análise de correlação entre variáveis, Gráficos de Pareto, histogramas, análise de distribuições de probabilidade, etc. Tudo isso para analisar e identificar as fontes de variação que impactam na causa raiz do problema.
Em seguida vem a fase de melhoria. Cabe aqui a capacidade de criação de soluções inovadoras pela equipe. O foco na simplicidade deve permear toda criação. Técnicas de verificação de robustez à falha como FMEA devem ser usadas nessa fase. Em seguida é necessário a criação de um plano detalhado de implantação da solução até criar padrões de operação, para viabilizar o controle da operação.
A fase seguinte ao DMAIC é a replicação. Um projeto com sucesso é motivo de divulgação e replicação em todas as áreas onde o processo é semelhante.
DMAIC: Define, Measure, Analyse, Improve, Control

O mundo dos negócios descreve seis sigma como um método altamente técnico usado por engenheiros da qualidade e estatísticos para ajustar produtos e serviços. Outra abordagem seria atingir a quase-perfeição e as necessidades do cliente através de ajuste de processo ao ponto de gerar apenas 3.4 defeitos por milhão de unidades produzidas, ou serviço prestado. A mudança de cultura também é parte do processo, onde a necessidade de integração e interação entre as pessoas requer um achatamento e quebra de barreiras da estrutura organizacional.
A Motorola, empresa onde nasceu a metodologia, descreve o seis sigma como uma metodologia científica orientada pela gestão para melhoria de produtos e processos que cria avanços relevantes em desempenho financeiro e satisfação dos clientes.
Segundo a Sociedade Americana pela Qualidade, o seis sigma é uma metodologia que disponibiliza aos negócios ferramentas para aumentar a capabilidade dos processos. Isso leva à melhoria de desempenho e à redução de variações dos processos levando à redução dos defeitos e melhoria nos lucros, moral do empregado e qualidade do produto.

Artigos relacionados:
  1. Metodologia de trabalho em pesquisa operacional
  2. Um exemplo de otimização em siderurgia
  3. Pesquisa operacional, muitas empresas ainda desconhecem

Nenhum comentário:

Postar um comentário