Postagem em destaque

Procurando Profissional em Análise de Processos de Negócios, BPM, BPMS e Melhoria de Processos, para atuar na Região Metropolitana de Belo Horizonte?

Marco Gandra Brasileiro – Casado 41 anos - CNH B Nascido em Belo Horizonte e-mail gandraribeiro@gmail.com ...

Pesquisar neste blog

23 de mar de 2013

Não deixe seu programa de melhoria fracassar

Por: Luiz de Paiva
Em: http://ogerente.com/logisticando/2007/01/14/nao-deixe-seu-programa-de-melhoria-fracassar/

Existem várias ferramentas que podem melhorar a qualidade e produtividade das operações de uma empresa. Seis Sigma, Lean, Kaizen, Kanban, 5S, JIT, entre outras, são todas comprovadamente eficientes, mas ao mesmo tempo existem inúmeros casos nos quais estas iniciativas fracassaram.

Muitos fatores podem contribuir para este fracasso, mas vou citar a seguir 2 que me parecem críticos para a execução de um programa de melhoria:
Envolvimento da Liderança
Toda a liderança da organização deve estar profundamente envolvida com o programa. Isto envolve desde a presidência até os supervisores de linha. Somente desta forma será possível obter um alinhamento entre a estratégia e a execução, e serão aplicados os recursos necessários para o sucesso da iniciativa.
Na fase de iniciação do programa deve existir um treinamento abrangente em todos os níveis. É claro que o conteúdo será diferente nos diversos níveis hierárquicos, mas os conceitos básicos e objetivos do programa devem estar claros. Além disso, os principais líderes da empresa devem dar um seguimento pessoal às iniciativas, para ter a garantia de que a iniciativa não está sendo desfeita em sua implementação.
Mudança de Cultura
A implementação de um programa de melhoria pode envolver fortes mudanças na forma de trabalhar de uma empresa, e toda mudança traz uma resistência natural dos funcionários. Não é suficiente que a liderança se envolva com o projeto, se a equipe responsável por executá-lo o vê como “mais uma idéia maluca do presidente”.
Esta resistência deve ser quebrada aos poucos. Além do treinamento nas novas metodologias, é interessante fazer a aplicação das ferramentas aos poucos, em situações isoladas, que não afetarão a forma de trabalhar como um todo. Desta forma, a equipe se acostumará com os novos processos sem que isso represente uma mudança brusca para eles, e aos poucos se sentirá confortável para assumir passos maiores.
Por exemplo, pode-se começar fazendo um diagrama de pareto de uma falha específica e realizar uma análise dos dados em grupo. Outra idéia é fazer um programa de 5S, que tem conceitos mais simples e práticos. Com estes passos iniciais, as mudanças mais ambiciosas sofrerão menos resistência.



Nenhum comentário:

Postar um comentário